Relações económicas

As áreas potenciais de cooperação entre Estónia e Portugal são turismo, tecnologias de informação e comunicações, e atividades de investigação e desenvolvimento, bem como a produção de energia renovável ou a indústria de processamento de alimentos. Em maio de 2011, um grupo de empresários portugueses fundaram a Câmara de Comércio Luso-Báltica, cujo objetivo é desenvolver contatos económicos entre os países Bálticos e os países de língua Português. Em setembro de 2011, o Conselho de Administração da Câmara visitou Estónia para obter contatos. Durante a crise económica e financeira que atormentou Portugal e nos anos subsequentes, a sua atividade foi inibida. O crescimento modesto econômico de Portugal permitiu que a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Báltica tornou-se mais ativa, mais uma vez. Em 2015, a Câmara de Comércio Luso-Báltica conseguiu obter o seu próprio escritório no norte de Portugal, em Viseu.

Em maio de 2012, a Embaixada da Estónia, em cooperação com a Câmara de Comércio Luso-Báltica e AICEP, organizou seminários empresariais no Porto e em Lisboa, onde a clima de negócios da Estónia foi introduzida por Maria Alajõe, o membro do Conselho de Enterprise Estonia.

Em maio de 2013, uma delegação da Autoridade de Sistemas de Informação esteve em Lisboa para uma visita. Eles se encontraram com os parceiros da Agência Portuguesa para a Modernização da Administração Pública para falar sobre e-estados e oportunidades de troca de experiências.

Em maio de 2014, a Embaixada da Estónia em Lisboa, em cooperação com a companhia aérea TAP Portugal e Enterprise Estonia em Lisboa, organizou um seminário introduzindo Estónia como destino turístico.

Comércio

Novas regulações de vistos para startups da Estónia

Comércio entre Estónia e Portugal tem crescido nos últimos anos. Em 2010, as transacções comerciais foram no montante de 12,7 milhões de euros, e em 2016 de 23,2 milhões de euros (0,1% do total do comércio Estónio); o aumento inclui as exportações e importações. O saldo da balança comercial em 2016 foi pela primeira vez positivo (+0.5 milhões de euros) desde 2010.

Em 2012, Portugal era o 49º, em 2013 o 50º , em 2014 o 44º e em 2016 o 45º parceiro comercial da Estónia.

Comércio de 2010 a 2017 (milhões de euros)

  Exportação Importação
2010 6.4 6.3
2011 7.1 9.4
2012 8.6 10.1
2013 9.1 10.1
2014 10.8 11.8
2015 10.3 12.2
2016 11.8 11.3
2017 (5 meses) 6.6 4.6

Principais produtos de exportação em 2016:

  • Madeira e produtos de madeira — 49,8%
  • Produtos de papel e celulose – 14,2%
  • Maquinaria e equipamento – 12,5%
  • Produtos minerais – 5,4%

Principais produtos de exportação em 2017 (5 meses):

  • Madeira e produtos de madeira — 36,4%
  • Produtos minerais — 35,2%
  • Maquinaria e equipamento – 12,5%

Principais produtos de importação em 2016:

  • Têxteis e produtos têxteis — 17,2%
  • Plásticos – 13,4%
  • Metais e produtos metálicos – 13,3%
  • Produtos de papel e celulose – 11%

Principais produtos de importação em 2017 (5 meses):

  • Maquinaria e equipamento – 14,3%
  • Plásticos – 14,2%
  • Metais e produtos metálicos – 12,5%
  • Têxteis e produtos têxteis — 10%
  • Produtos de papel e celulose – 9,1%

Investimentos

De acordo com os dados do Banco da Estónia, a partir de 31.12.2015 os investimentos diretos portugueses na Estónia foram classificados como – (menos) 9,1 milhões de euros. Os investimentos foram efetuados em diversos setores: agricultura, fabricação, construção, comércio de venda por grosso e a retalho, transporte e setor de armazenamento, o setor de informação e comunicações, actividades financeiras e de seguros, imobiliário, atividades profissionais, científicas e técnicas.

A partir de abril de 2015, havia 13 empresas portuguesas no Registo Comercial da Estónia.

Ao mesmo tempo, os investimentos diretos da Estónia em Portugal foram no montante de 2,9 milhões de euros. Os investimentos foram feitos na fabricação, construção, comércio por grosso e a retalho, e imobiliário.

Turismo

O número de turistas portugueses a visitar Estónia tem crescido todos os anos e Portugal como um destino, também está a tornar-se mais popular entre os estónios. Como acontece com a maioria dos turistas do sul da Europa, os portugueses visitam a Estónia sobretudo no Verão, como parte de uma viagem pelos países vizinhos. A maioria dos turistas portugueses visita apenas Tallinn.

Portugal torna-se cada vez mais popular como um local de férias de verão para os turistas estónios, mas Portugal ainda tem muito mais potencial não realizado como um spa ou um destino turístico para os estónios, considerando os seus preços razoáveis, pontos turísticos interessantes, e os cidadãos amigáveis que falam inglês. Durante os últimos anos o número de turistas tem sido positivamente afetado por viagens charter que são organizadas no verão, de Tallinn para Algarve no sul de Portugal.