Cultura

No dia 12 de Maio de 2003, Estónia e Portugal assinaram um acordo de cooperação nos domínios da língua, educação, cultura, ciência, tecnologia, projectos para a juventude, desporto e Media, em vigor desde 15 de Dezembro de 2005.

A língua portuguesa é neste momento ensinada em dois centros de línguas na Estónia – na Universidade de Tartu e na Universidade de Tallinn. Isto é possível graças a um acordo de cooperação assinado entre o Instituto Camões e a Universidade de Tallinn e de Tartu em 2006. Segundo o acordo, o Instituto Camões cobra todas as despesas para professores e materiais, e cada uma das universidades da Estónia receberá uma bolsa de estudos para enviar um estudante para Portugal para aprender Português.

Arte

Muitas exposições de arte têm sido realizadas.

Em setembro de 2007 realizou-se uma exposição de pinturas de Jüri Arrak no Convento dos Cardaes, e no mesmo ano a joalheria do Tanel Veenre foi exibido no Teatro da Cidade do Funchal, na ilha da Madeira. Em 2008 teve lugar uma exposição de aquarelas de Valli Lember-Bogatkina no Museu da Água de Lisboa e, em 2009, a exposição conjunta de seis artistas estónios, “Musgos e Líquens” foi exibida em Coimbra.

As exibições de 2010 incluíram a exposição pessoal de Markus Kasemaa, “Figuras” nos Açores, uma exposição de pinturas de Imat Suuman em Lisboa, intitulada “Paisagem Estónia” e, uma exposição de obras de escultores de vidro da Estónia, Tiina e Maret Sarapuu também em Lisboa. Em janeiro de 2011, a exposição “Tallinn: Cores, Texturas, Emoções” foi inaugurada, e em junho uma exposição de Markus Kasemaa de cópias digitais sobre tela inaugurou no Instituto Camões, em Lisboa. O projeto de joalheria “Cidade Fronteiriça” foi realizado em Tallinn, quando as obras de 17 artistas estónios e 17 artistas portugueses foram exibidos no Galeria da Cidade de Tallinn. No início de 2012, o projeto “Cidade Fronteiriça” continuou em Lisboa, quando a exposição foi inaugurada no dia 16 de Fevereiro de 2012, no Instituto Camões. Em novembro de 2012, teve lugar o projeto conjunto de arte de desempenho Português-Polaco-Estónio, “Cosmic Underground”, onde Estónia foi representada por Raoul Kurwitz e Flo Kasearu.

Em maio de 2013, a Embaixadora da Estónia, Marin Mõttus inaugurou a exposição “Estónia Como País Marítimo: Faróis da Estónia” em Ponta Delgada, nos Açores. O farol mais oriental na UE situa-se em Narva-Jõesuu na Estónia e o mais ocidental é o farol Albernaz nos Açores.

Em 2014, a Travessa da Ermida apresentou no âmbito do Projeto Vicente, a obra do artista estónio Raoul Kurvitz, que realizou-se na antiga Ermida – um templo desconsagrado – num ambiente poético em que os diferentes motivos folclóricos estão desenvolvidos pela sua fantasia pessoal, numa prática ritualística-mitológica.

Em 2015 foram inauguradas a exposição da artista de desempenho, de design gráfico, semiótica visual, Katja Novitskova, no Kunsthalle Lissabon, e a exposição fotográfica da artista Anu Hint e da Associação de Designers de Moda da Estónia, „Ser Estónio“, no LX Factory. A Biblioteca de Setúbal acolheu uma exposição de fotografias „Descobrindo Estónia. De silêncio das florestas a mágica das músicas“.

Música

Os músicos estónios também tiveram oportunidade de exibir os seus talentos em Portugal, tanto em concertos independentes como enquadrados em eventos de âmbito mais vasto.

Em 2007, Hedvig Hanson e Andre Maaker realizaram dois concertos em Portugal, em Lisboa e em Abrantes. Em Setembro do mesmo ano, o Coro Misto das Forças de Defesa da Estónia realizou dois espetáculos em Lisboa.

Em 2008, realizou-se um espectáculo pelo Coro Feminino da Televisão Estónia na Aula Magna da Universidade de Lisboa, para comemorar o 90º aniversário da República da Estónia.

Em 2008 teve lugar um espectáculo pelo Coro Misto Flora, no Palácio Foz em Lisboa. Em 2009 Helin-Mari Arder Trio realizou concertos em Lisboa e Tavira, e o duo folclórico RO:TORO deu um concerto no Fundão. Em 2011 os concertos do Grupo de Sinos de Mão „Arsis”, no Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa e, no capital europeu da cultura de 2012, Guimarães, foram muito bem-sucedidos.

Em 2012 o conjunto vocal estónio, -7 (menos sete), realizou um concerto no Palácio Foz, em Lisboa. O Coro de Câmara Filarmónico Estónia deu três concertos em Lisboa durante um festival no Centro Cultural de Belém chamado de “A voz humana – o canto através dos tempos”. Em maio o coro também se apresentou na igreja de Vila de Frades, no âmbito do Festival „Terras sem Sombra“ de música sacra do Baixo Alentejo. Em 2012, um grupo de dança, “Kuljus” atuou no festival de dança folclórica de Santarém e em 2013, a cantora Mari Kalkun deu três concertos em Lisboa – na Mãe d’Água, na Fábrica Braço de Prata e no Palácio Foz.

Cinema

Em Novembro de 2007, o filme “Baile de Outono”, de Veiko Õunpuu, ganhou o prémio especial do júri no Festival de Cinema Internacional do Estoril. A antestreia oficial do filme em Portugal decorreu em julho de 2008. O filme ficou nas cinemas durante 6 meses.

Em Novembro de 2008 no Estoril Film Festival “Temps d’Images” notaram o documentário de Kersti Uibo “Natureza morta com uma mulher”.

Em 2009, o filme estónio-finlandês “The Revolution That Wasn’t“ ganhou o prémio de SIC Notícias do melhor documentário de investigação no Doclisboa – VII Festival Internacional de Cinema.

Em 2013, o Festival de Cinema Escolar da Estónia exibiu os filmes realizados por jovens portugueses no âmbito dos ateliers guiados pela associação cultural “Os Filhos de Lumière”. No mesmo ano foi lançada a co-produção estónia-portuguesa-espanhola „Diamantes Negros“

Em 2014, Cinanima – o 38º Festival Internacional de Cinema de Animação exibiu a retrospectiva do realizador estónio Rao Heidmets, quem também fez parte do júri internacional do Festival. O programa da competição do Festival incluiu mais dois filmes de animação estónia: „Pilotos a Caminho de Casa“ de Olga e Priit Pärn, e „Lisa Limone e Maroc Orange – uma história de amor súbita“.

Literatura

Até a presente data, as únicas obras da literatura estónia traduzidas para português são “O Louco do Czar”, de Jaan Kross, que teve duas edições em 1992 e 1993, e “O Leiteiro de Mäeküla”, de Eduard Vilde (2004).

Entre as obras da literatura portuguesa, “A Relíquia”, de Eça de Queiroz, e “Autopsicografia”, de Fernando Pessoa foram traduzidas para estónio pelo Ain Kaalep, que também traduziu “Domingo à Tarde”, de Fernando Namora, e uma colectânea de contos intitulada “Tupariz e as Serpentes do Céu”, de Vitório Káli. Em 2007 o “Ensaio Sobre a Cegueira”, de José Saramago foi publicado em estónio (tradução pela Mare Vega Salamanca).

Em 2007, a editora TEA publicou um pequeno dicionário estónio-português, português-estónio. Em 2010, a “Tabacaria” pelo Fernando Pessoa foi publicada na Estónia, traduzida pelo Tõnu Õnnepalu, e em 2011, “O vendedor dos Passados” pelo autor angolano José Eduardo Agualusa foi publicado (tradução para estónio pela Leenu Nigu).

Em novembro de 2011, decorreu um espectáculo especial de “Purga” de Sofi Oksanen, no Teatro Alberto em Lisboa. O evento foi precedido pela uma recepção organizada pela Embaixada da Estónia e da Finlândia, e uma mesa redonda sobre as temas do livro, onde participou também a Sofi Oksanen. No dia 16 de novembro foi revelado a “Purga” em Português.

Em Maio de 2012, uma noite de poesia da Kristiina Ehin teve lugar na Igreja Evangélica Presbiteriana em Lisboa (as poemas foram traduzidas pela Eva Toulouse, que é de origem Francês, Italiano e Português, e as poemas em língua portuguesa foram lidos em voz alta pelo ator João d’Avila). No dia 23 de maio uma noite de poesia de Kristiina Ehin e instrumentos musicais originais de Silver Sepp chamada “Através de Milhares de Outonos e Invernos” teve lugar na Casa Fernando Pessoa em Lisboa.

Outras actividades

Em dezembro de 2002 a culturalmente orientada Sociedade da Estónia em Lisboa foi fundada.

No Verão de 2004 foi assinado um acordo de amizade e cooperação entre as cidades de Haapsalu e Fundão. No dia 7 de maio de 2005, o Presidente da Câmara Municipal de Haapsalu, Teet Kallasvee, e o Presidente da Câmara Municipal do Fundão, Manuel Joaquim Frexes, inauguraram a Rua de Haapsalu, situada na zona mais moderna do Fundão.

Em Junho de 2006 diversos eventos alusivos ao Dia de Portugal tiveram lugar em Tallinn. No Centro Comercial Kristiine realizou-se uma Semana de Portugal com apresentação de vinhos, produtos alimentares e outros artigos originários de Portugal. O Dia de Portugal foi festejado na Mansão Palmse, à uma hora de viagem de Tallinn. Foi servida comida tradicional portuguesa e o pianista Filipe Pinto Ribeiro deu um recital de piano.

Em Outubro de 2007 a semana gastronómica da Estónia decorreu em Lisboa, no Hotel Sheraton, durante a qual foram servidos pratos tradicionais estónios preparados pelos chefes Tõnis Sigur e Raul Tee. Em dezembro de 2008, a Embaixada da Estónia em Lisboa apresentou tradições de Natal da Estónia no evento “O Natal na Europa”. O duo folclórico RO: TORO deu dois concertos no âmbito do evento.

Ao longo dos últimos anos teve lugar a iniciativa nacional de limpeza “Limpar Portugal”. A iniciativa, que teve origem na Estónia, tem ganhado ampla cobertura da média.

Em maio de 2012, a jogadora de ténis Estónia, Kaia Kanepi venceu o torneio Estoril Open.

No dia 8 de junho de 2016 o um jogo amigável de futebol entre Portugal e Estónia terá lugar no Estádio da Luz em Lisboa. Estónia e Portugal se enfrentaram sete vezes, incluindo seis vezes na fase de qualificação do Campeonato Europeu. A última vez que jogaram foi em 2009, na A. Le Coq Arena, quando o jogo de despedida de Mart Poom terminou em um 0: 0 sorteio.