Estónia eleita para a adesão não permanente do Conselho de Segurança da ONU 2020-2021

Na eleição de sexta-feira dos membros não permanentes do Conselho de Segurança da ONU em Nova York, Estónia recebeu um mandato para se tornar um membro para 2020-2021. O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Urmas Reinsalu, destacou que foi um evento histórico e um grande dia para a diplomacia estónia. A adesão ao Conselho de Segurança da ONU tornaria Estónia significativamente maior no mapa mundial.

“A ONU é a organização mais importante encarregada da paz e segurança, e ter assento na mesa do Conselho de Segurança dá à Estónia a oportunidade de contribuir para a resolução de conflitos e garantir a paz em todo o mundo. Estónia defende uma ordem mundial baseada em regras e leis internacionais ”, disse ele. “Ao participar ativamente da organização global, Estónia também garante sua própria segurança da melhor maneira”, acrescentou Reinsalu.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros disse que as prioridades da Estónia durante a sua participação no Conselho de Segurança incluiriam a manutenção da ordem mundial baseada no direito internacional, compartilhando as nossas experiências relacionadas com o estado digital e e-governação, clima e questões ambientais, e fazendo o funcionamento do Conselho de Segurança mais eficiente.

“A governança eletrónica e a ciber segurança são definitivamente prioridades para nós como país digital e estão diretamente ligadas à nossa segurança”, disse ele.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros destacou o trabalho da Presidente da Estónia Kersti Kaljulaid, do diretor de campanha Margus Kolga e do Embaixador da Estónia na ONU, Sven Jürgenson, na realização da campanha. “A dedicação dos nossos diplomatas ao longo de vários anos é o que nos garantiu esse resultado”, acrescentou Reinsalu.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros disse que muitas empresas da Estónia já se beneficiaram enormemente da campanha pelo assento no Conselho de Segurança.

“Com essa campanha, aumentamos significativamente o perfil da Estónia no mundo. Continuaremos usando os contatos que fizemos para reforçar a nossa reputação como um país digital e ajudar as nossas empresas a expandir as suas atividades, acima de tudo além da União Europeia ”, disse Reinsalu.

O governo tomou a decisão de se candidatar ao assento não permanente no Conselho de Segurança da ONU em 2005. Estónia concorreu ao lado da Roménia e foi eleita na segunda rodada com 132 votos. A maioria dos dois terços é necessária para ser eleito membro. Existem 193 países na ONU.

Estónia iniciará o seu mandato no Conselho de Segurança da ONU em 2020 com mais quatro novos membros: Níger, Tunísia, Vietname e São Vicente e Granadinas. A missão destes cinco países termina em 2021. Bélgica, Alemanha, República Dominicana, Indonésia e África do Sul continuarão como membros não permanentes em 2020, juntamente com cinco membros permanentes, Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, e China. Os próximos cinco membros não permanentes para o período 2021-2022 serão eleitos na votação de 2020.